domingo, 28 de junho de 2015

Um bom domingo

As pessoas não gostam de domingos mas sei lá, ando gostando deles. Hoje fui no Jardim Botânico com minha amiga, ela chamou mais um amigo quando cheguei lá encontrei um garoto da nossa sala, então chamamos ele para andar com a gente já que, ele não achava a amiga com a qual havia combinado de se encontrar. Sentamos perto de uma árvore onde fazia sombra, ficamos de frente para o lago, estava um pouco frio, mas não coloquei o moletom. Jogamos conversa fora, e depois fomos andar mais um pouco para ver se encontrávamos a amiga  do nosso colega. Não achamos, a fome bateu, então fomos lá na lanchonete, eu tinha levado um salgadinho então dividimos e os meninos racharam uma coca nesse lugar é super caro. Comemos, conversamos e rimos muito. Depois andamos mais e mais. O amigo da minha amiga parou para conversar com um homem que tomava chimarrão e o outro foi novamente procurar a amiga. Ficamos lá sentadas na grama sem fazer nada, estava um silêncio chato, então peguei minha câmera para fazermos alguma coisa. Tirei uma foto da minha amiga sem ela saber, rimos e depois fomos tentar tirar algumas fotos legais. Mas já estava ficando tarde e tínhamos que ir embora, voltamos para onde estávamos antes, para que ela pudesse encontrar o amigo. Fomos indo, tirei uma foto dos dois e depois fizemos uma selfie, logo nos despedimos e eu fui esperar meu pai, enquanto ele não chegava fiquei fotografando os lindos ipês rosas. Roubei uma florzinha da árvore e guardei em meu bolso, o que já é tipico do meu ser. Fiquei lá esperando o meu pai sem fazer nada, a não ser comer um pé de moleque, daqueles embalados que eu tinha levado. O menino da minha sala estava indo embora, então demos tchau, também dei tchau para o amigo dele, que eu ainda não tinha visto, ele era engraçado e agitado, talvez fosse imperativo, parecia legal. Um tempo depois avistei meu carro, um logan preto, meu pai estava dirigindo, entrei e fomos para casa.
video


terça-feira, 23 de junho de 2015

Oi gente, tudo bem? Percebi que já faz um tempão que não faço um post de "cliques da semana", me desculpem, mas agora eu estou de volta e vamos nessa haha. Os cliques dessa semana são aleatorios

segunda-feira, 22 de junho de 2015

#aletradaspessoas e algumas curiosidades.

Oii gente, deixa eu contar uma curiosidade para vocês, existe um estudo chamado grafologia que estuda a característica das pessoas,e consegue até detectar doenças neurológicas de acordo com a letra. Também serve como ciência auxiliar nas áreas de orientação profissional, pedagogia e criminologia. De acordo com José Bosco escritor do livro "Grafologia: A ciência da escrita" isso acontece pois quem escreve não é a mão, mas sim o cérebro, que comanda o movimento muscular da pessoa, então se ela  está com algum distúrbio emocional, isso será refletido no trabalho cerebral, que virá a refletir no movimento do punho de quem escreve. Vou deixar algumas características da escrita abaixo e veja se você se identifica, depois não esqueça de me contar nos comentário hahaha.
Aí vai:
Velocidade muito rápida - Iniciativa, precipitação, habilidade para improvisações.
Rápida - Agilidade mental, originalidade, habilidade.

Lenta - Cuidado, reserva, serenidade, reflexão.

Muito lenta - Lentidão no pensar, falta de iniciativa, desânimo, submissão.
Pressão forte ao escrever (você pode perceber isso no relevo que se forma do outro lado da folha) - Praticidade, instinto, precisa sempre estar em atividade física, impulsivo sexualmente.
Pressão normal - Firmeza de caráter e constância nos sentimentos.
Pressão leve - Sensibilidade, sofisticação, gostos aristocráticos.
Pressão desigual, que se altera - Ansiedade, inconstância, necessita viver sempre novas sensações, temperamental.
Letras pequenas – Timidez ou sentimento de inferioridade.
Letras grandes e expansivas – Vaidade, autoconfiança, orgulho.
Letras ligadas (ou “de mão dada”) – Raciocínio mais lógico e racional, estabilidade emocional.
Letras desligadas (geralmente cursiva ou de forma) - Intuição, observação de detalhes, dom artístico, valorização do que é belo.
Letras agrupadas (algumas ligadas e outras desligadas) - reflexão, forte poder de análise.
Inclinação para a direita - Extroversão.
Inclinação para a esquerda - Introversão.
Sem inclinação, reta, perpendicular - Autocontrole, firmeza de emoções, geralmente equilibrada.
Inclinação muito variável - Contradição, conflitos emocionais, indecisão, dupla personalidade.
Letras que formam pontas, angulosas - Impulsividade, agressividade.
Retoques excessivos na escrita - Tendência à mentira, vontade de se esconder ou perfeccionismo excessivo.
Fonte: http://www.conexaoaluno.rj.gov.br/especial.asp?EditeCodigoDaPagina=5115
Vocês já devem ter visto aquela #aletradaspessoas, não é? Então, hoje vim fazer um post sobre a minha letra. Com toda essa tecnologia as pessoas acabam deixando de escrever em folhas, já que você pode fazer isso no celular, cartas viraram raridade, já que agora é só você ir no facebook da pessoa e escrever seu texto para ela. E essa hashtag veio exatamente por isso, pra gente relembrar a letra das pessoas, vi muito no instagram e adorei, então resolvi fazer um post para que vocês conhecem a minha letra atual e relembrem as minhas antigas.
Se não me engano esse foi o meu primeiro diário, e essas páginas foram escritas no ano de 2009, quando eu tinha 9 anos e adorava colorir o caderno, ainda gosto, porém acabo esquecendo as canetas coloridas em casa hahaha. Digamos que hoje minha letra esta bem diferente de como ela era em 2009.
Este é de 2010 (olha que bonitinho, coloquei até a marca do meu dedo kkkkk), nessa época minha letra já estava mais redondinha, assim como ela é agora. 
Modéstia parte, até que a letra era bonita huhu.
 Ps: eu era beem nerd.
Gente olha o que tá escrito de azul kkkkkkkkkkkkkk. Esse final ficou maravilhoso, só que não haha. Isso foi em 2012, bem da verdade não tenho certeza se foi mesmo porque também escrevi nesse diário em 2013, mas vamos fingir que eu não falei nada e que foi no ano de 2012 (e eu sobrevivi ao fim do mundo, yeah!)

Caderno de história do ano 2013, matéria preferida <3
2014, época que eu comecei a escrever histórias <3

E por último, a letra de 2015
 Agora minha letra está redondinha e gordinha haha. 
E aí amores, gostaram? Espero que sim. Agora eu quero conhecer sua letra também :)

sábado, 20 de junho de 2015

Oii gente, vi que faz muito tempo que não faço um cliques da semana

Veja as pessoas muito além dos esteriótipos!

Vejo como as pessoas julgam uma as outras, e eu acho isso horrível! Devemos ver as pessoas muito além das aparências ou então do que elas parecem ser. Os homens ou então as mulheres escolhem um parceiro bonito, ao invés de escolher por amor, eu vejo muito isso. Tem garoto que nem me conhece e já vem dar em cima de mim, mas poxa, ele nem me conhece! Só sou um rostinho bonito para ele. Quando essa nossa sociedade vai aprender a procurar as pessoas pelo conteúdo?
Parar de falar que gays são pecadores, e aprender a respeitar as diferenças, parar de achar que mulheres são fúteis e que só servem para beijar ou para transar? Quando pararam de achar que elas são fracas?  Quando os homens vão parar de falar que pegaram uma mulher como se ela fosse um objeto, ou então pior, dizer que já comeu, cara, mulher não é comida!
Negros não são bandidos! E não são bons apenas em esportes e em música!
Só porque ele(a) é rockeiro não quer dizer que seja drogado!
Vamos parar de julgar as pessoas, de colocar esteriótipos nelas, e de desrespeita-las por serem diferentes. Vamos lutar para que isso acabe!
Veja as pessoas muita além da beleza,

sexta-feira, 19 de junho de 2015

Projeto 12 cartas: uma carta para alguém que já morreu.


Queridos avós, fui convidada a escrever uma carta para alguém que já morreu mas, vou sair um pouco da regra e escrever para três pessoas, as quais nunca cheguei a conhecer. Essa carta vai para vocês, avô Zé, outro avô Zé e para você avó Benedita.
Quero lhes fazer muitas perguntas, aliás é verdade isso que um professor uma vez me disse, avôs realmente usam chapéu? E avó você usa um grampo de cabelo? Queria respostas, mas acho que quando a gente se encontrar no céu vocês possam me dizer.
Como eram meus pais quando pequenos? Saiba que vocês teriam orgulho de quem eles se tornaram.
Avô Zé e avó Benedita, parabéns pelo filho de vocês! Tudo o que sou, devo a ele e a mulher com quem ele se casou. Apesar de as vezes ocorreram desentendimentos aqui em casa eles são um bom casal, e ótimos pais. Meu pai está trabalhando de mecânico, que nem você trabalhava vô.
Avô Zé, pai da minha mãe, só pra te falar ela seguiu a profissão da vó Terezinha, virou professora e direto conta história dos alunos para mim haha. Ela, assim como o meu pai tem muito amor por nós, e eu e minha irmã amamos eles também <3.
Mas agora mudando de assunto, vou fazer um pedido para vocês. Não sei se olham a terra, se sabem do nosso futuro, mas se não for muito incomodo, quando eu chegar no céu vamos fazer aquele almoço de domingo na casa da avó, que meus amigos sempre falam? Juntar toda a família, comer uma macarronada, conversar, contar histórias, comparar as gerações, rir e amar? 
Ps: se formos fazer esse almoço, não se esqueçam do chapéu, e lembra do grampo vó. 
Até algum dia no céu.                                  
                                                                                                            Com carinho, Isabela Tasca.

quinta-feira, 18 de junho de 2015

Resenha- A menina com a lagartixa.


Bernard Schlink professor de direito e filosofia na universidade Humboldt de Berlim desde 1996, já escreveu vários livros, como O outro, A volta para casa, O leitor, e o qual irei falar hoje, A menina com a borboleta. O livro gira em torno de um quadro, que o pai é encantado sendo assim o filho acaba herdando essa paixão. Certa vez, uma professora deu aos alunas a tarefa de descrever um quadro, o garoto não pensou em outra se não naquele que ficava no escritório do pai, onde ele era antigamente obrigado a tirar uma soneca no sofá depois do almoço. Assim como o pai ficava horas olhando para o quadro também o garoto o fazia. Entrou no escritório, seu pai não estava lá, havia saído, então se sentou e começou a escrever. Várias tentativas até ficar satisfeito, logo o pai chegou e pediu para que menino lesse.
"No quadro uma menina contempla uma lagartixa que toma sol. A menina é linda. Ela tem um rosto fino com uma testa lisa, e uma leve fissura no lábio superior. Tem olhos castanhos e cachos castanhos. Na verdade o quadro é apenas a cabeça da menina. Todo o resto não é tão importante. Se bem considerarmos também a lagartixa, o rochedo ou a duna, a praia e o mar.
O pai gostou, no entanto disse para o garoto não levar a descrição daquele quadro, pois havia o descrito como um tesouro e as pessoas iriam querer rouba-lo. Obedeceu o pai e não levou a descrição do quadro para a escola, mas para sua vida com certeza. Juntos prevaleceram as dúvidas e mistérios que a menina com a lagartixa carregava.
Terminou de estudar e deixou de morar com os pais, viajou para um lugar onde arrumou um trabalho e uma moradia. Por lá ficou, e só veio quando seu pai faleceu. A mãe perguntou se ele queria alguma coisa de seu pai, e ele quis o quadro. Dês de então o jovem começa a pesquisar sobre de onde veio o quadro e a se obcecar por ele, fez muitas perguntas para a mulher com feições duras, cabelos brancos, que não era nada suave com ele e nem com o pai, aquela que parecia estar sempre triste e com rancor de alguma coisa; a mãe dele. Devido a sua ficção em esconder o obra que logo descobriu ser de René Dalmann não conseguiu manter um namoro, já que não queria que elas descobrissem o que ele escondia e tinha medo que isso acontecesse.
Essa história se passa um pouco depois da Segunda Guerra Mundial. O pai do menino havia ajudado os judeus, e disse que deles havia ganhado o quadro para que pudesse cuidar, será mesmo verdade? Tantas coisas ocultas, o garoto nem conseguiu permanecer com amores devido a sua ficção em esconder o quadro para que tal fosse um segredo só dele, o jovem resolve tomar uma decisão. O final do livro foi realmente surpreendente, não vou contar; mas confesso que me chocou, eu realmente não imaginava que fosse aquilo. Porém a decisão que o personagem tomou é uma lição para todos nós, pois significava liberdade, o fim da prisão do passado.          
Existem muitas coisas para serem descobertas através de cada página desse livro, a escrita não é complicada, e sim super fácil de ler, fiquei muito empolgada e li em dois dias, contêm apenas 93 páginas. Os personagens não tem nome. Me identifiquei bastante com o garoto, o filho. Pois todo o tempo ele faz perguntas para si mesmo, quer desvendar os mistérios, e é observador. Super recomendo esse livro.
Beijoss <3

quarta-feira, 17 de junho de 2015

Onde está seu celular?

O teu parceiro?

O teu cabelo?

A tua mãe?

O teu pai?

O teu objeto preferido?

O teu sonho da noite anterior?

A tua bebida preferida?

O carro dos teus sonhos?

Onde estás nesse momento?

O teu ex?

O teu medo?

Com quem passaste a noite passada?

O que deseja ser daqui a dez anos?

O que não és?

A última coisa que fizeste?

O que estás a usar?

Livro predileto?

Última coisa que comeste?

A tua vida?
Abençoada

O teu humor?
Risonha

Os teus amigos?
Verdadeiros

Em que estás a pensar neste momento?
Recesso

O que estás a fazer neste momento?
Blogando

O teu verão?
Entediante

O que está a passar na TV?
Filme

Quando sorriste pela última vez?
Há uns minutos atrás

Escola?
Dedicação

O que estás a ouvir neste momento?
Monomania

O que gosta de fazer aos fins de semana?
Dormir

Profissão dos teus sonhos?
Fotografia

O teu computador?
Lento

O que está do lado de fora da tua janela?
Prédios

Cerveja?
Eca

Comida mexicana?
Apimentada

Inverno?
Chuva

Religião?

Férias?
Liberdade

Em cima da tua cama?
Travisseiro

Amor?
Tudo

6 coisas que eu aprendi com o teatro.

Hoje vim falar de teatro, arte pela qual sou apaixonada. Talvez eu goste tanto assim pois curto explorar coisas novas, acho legal ser outra pessoa, com outra história, outros sentimentos, outra vida; posso ser eu mesma; me libertar... são tantos  motivos para eu amar essa arte. E tudo começou quando eu tinha uns 9 anos, e minha primeira peça foi "O bau do tesouro" algo assim kkk, naquela época eu era bem tímida, por isso acabei surpreendendo as pessoas e a mim mesma. Fui um menino, não me lembro muito bem de como era a história da peça, mas sei que foi a primeira de muitas outras. 
Boneca, nerd, diretora, psicopata, esses são alguns dos personagens que eu já fiz, e sabe, essa é a magia da coisa, ser várias pessoas em uma única vida. Fiquei dois anos sem teatro, pois onde eu fazia tinha que pagar e minha irmã também quis ter sua vez de atriz, então tive que parar para que minha mãe pudesse pagar o dela. Porém esse ano eu voltei, em outro lugar agora (que é de graça, uhulll), estou adorando, e aprendendo muitas coisas, então decidi compartilhar com vocês).
1-Não tenha medo do ridículo: Lá ser ridículo é prioridade, você pode fingir que é um passarinho voando, ou sei lá, se você é um menino pode dançar balé sem ter medo de ser estranho, de ser julgado, a gente não liga para isso, afinal todos que estão ali tem um parafuso a menos na cabeça, e isso não é nem um pouco ruim, eu gosto de pessoas com um parafuso a menos haha. Lá você pode ser você mesmo, ou quem você quiser.
2-Não faça o óbvio: Se você ouviu um barulho de chuva o mais óbvio a se fazer é abrir o guarda-chuva, mas não é para você fazer o óbvio! A graça da coisa é se desafiar, propor um novo desafio para si mesmo, e ir mais longe.
3-Crie: Vocês já devem ter notado tem bastante criação. Por exemplo, quando você vai fazer um personagem por mais que ele já tenha todas as falas escritas, vai ser você que vai tirar aquilo do papel e transformar em realidade, criar medos, alegrias, características em si. Onde eu faço, em algumas aulas o professor coloca sons e temos que criar uma história com eles, pode ser uma para cada som ou juntar todos, é muito legal pois você é quem cria aquele mundo, aquela história, quando fazemos isso sempre lembro de quando brincava com as minhas primas ainda brinco  e nós montávamos uma história, cada coisa gente kakaka.
4-Você construiu isso então também pode destruir: Isso trabalha bem com o controle pessoal. Imagine agora uma coisa que você tem medo, mais muito, muito medo mesmo, e que isso ta perto de você, que você ta vivendo seu medo. Tudo bem? Não? Então respira fundo, se acalma e volta ao normal.
Não sei se consegui te deixar com medo (provavelmente não), mas quis exemplificar, você construiu isso então pode desconstruir. Quando estiver triste pense nisso, porque ficou assim? Foi você mesmo que criou essa tristeza? Então pode acabar com ela!
5-Corra o risco do perigo: Não queira viver de forma tão segura, arrisque-se, a olhar nos olhos, sentir alguma coisa, a chegar na pontinha do precipício, e quando você estiver quase caindo lembre-se do que falei foi você mesmo que chegou aí, então pode achar uma saída, pode descer deste precipício. 
6-Aceita: "Aceita gay é pra poucas, bota a cara no sol, mana!" Kkkkk nada ver, mas não pude evitar haha. Agora falando sério, quando fazemos uma cena e alguém sugere algo, como: Vamos plantar alface na lua. E a outra pessoas diz: não, isso é impossível! Errado, no teatro nada é impossível. Então vai nessa e aceita embarcar nessa aventura, mana!

E essas são as 6 coisas que aprendi com o teatro, e ainda vem muita coisa pela frente para eu aprender. Obrigada professor por ter ensinado à turma tudo isso, e ainda do jeito mais legal que existe <3 Gostaram?

terça-feira, 16 de junho de 2015

Foquei nos galhos fracos de uma árvore, tenho feito muito isso, observado com delicadeza, passado a ver a profundidade daquilo,  agora já não passo mais os olhos rapidamente, agora aquela não é só mais uma árvore. Por entre as folhas, frutos e galhos eu procurava algum texto para escrever, até que consegui. Será que agora conseguirei me achar? Pois ando me procurando.
Desvio os olhos de lá, agora o foco vai para uma garrafa pet jogada na grama de um parquinho, o qual, fica atrás de minha casa. Por algum tempo fiquei ali olhando, devo estar louca! Levanto-me dali, a grama não era o lugar onde a garrafa deveria estar, e como ela, talvez eu também estivesse no lugar errado...

segunda-feira, 15 de junho de 2015

Arte Cibernética

Oi gente, tudo bem?
Faz um tempão que prometi falar sobre o quê encontrei lá no Museu Oscar Niemeyer, então depois de todo esse tempo aqui estou eu para falar sobre Arte Cibernética, um campo que tem como objetivo explorar a interação de um observador com a obra, e elaborar poesias ligadas a tecnologia desenvolvida a partir do século XX. Apresenta nove obras, além do Brasil as obras vem de artistas de várias partes do mundo, como Israel, Estados Unidos, França, Áustria, Bélgica e México. Quer conhecer todas elas? Então vem comigo.

Text Rain- Camille Utterback e Romy Achituv
 Criado pela norte-americana Camille Utterback e a israelense Romy Achituv, esse projeto é como o nome já diz uma chuva de letras. As letras vão cainda como gotas de chuva, e conforme os participantes projetam o corpo as letras vão se acumulando, sendo assim possível formar uma palavra ou então uma frase. As letras não são aleatórias, elas formam um poema chamado "Talk You" de Evan Zimroth.


Life Writer- Christa Sommerere e Laurent Mignonneau
Imagem do Google.
Christa Sommerer, uma bióloga belga em parceria com o francês Laurent Mignonneau, desenvolve instalações que produzem seres inexistentes na natureza, dentre elas "Life Writer" (Escritor de Vida). Ao teclar uma antiga máquina de escrever, letras são marcadas na folha. Ao retornar o cilindro da máquina, as letras viram criaturas artificias que parecem flutuar. Tais criaturas se reproduxem em novos seres todo vez que ovas letras são datilografadas. O espectador então se torna um "escritor de vidas".

Fala Brasil- Rejane Cantoni e Leonardo Crescenti
São 40 celulares, um microfone e um espectador. O visitante fala no microfone e os celulares que estão em estado de escuta criam um resultado audiovisual com um significado parecido com o som captado, ou seja, fala e exibe nas telas uma palavra idêntica ou semelhante a escutada, é como brincar de telefone sem fio.

Les Pissenlits- Edmond Couchot e Michel Bret
Pelo nome já podemos perceber que esse vem da França, é uma obra do professor Edmond Couchot e do autor de filmes de animação Michel Bret. Este é um dente de leão tecnológico, tem um microfone onde você assopra e então as sementes voam, as trajetorias complexas são detrminadas pela força e duração do sopro do espectador. Transparece nesta obra o conceito de ação e reação.
Descendo a escada- Regina Silveira
Na instalação feita pela artista visual Regina Silveira daqui do Brasil mesmo, o visitante desce uma escada virtual. O visitante entra n desenho que vai se desdobrando a medida que ele 
"desce" a escada, ao som de passos ritmados de outros (ausentes) que a percorrem em diferentes partes.

Reflexão #3- Raquel Kogan
 A artista multimídia Raquel Kogan, também do Brasil, criou essa instalação na qual a imagem de várias sequências de números é projetada na parede de uma sala escura. A projeção é refletida em um espelho d'água rente ao chão, isso causa a impressão de que os números são infinitos, veja:
Legal, não é?

OP_ERA: Sonic Dimension. Rejane Cantoni e Daniela Kutschat.
Instrumento musical virtual, tem forma de cubo de cubo reto aberto, prenchido por centenas de linhas luminosas que podem ser tocadas pelo visitante. Afinadas adequadamente, as cordas vibram com uma frequência de luz e de som que varia de acordo como o vistante a tocou. Feita pelas brasileiras Rejane Catoni e Daniela Kutschat.

Ultra-Nature- Miguel Chevalier
Um dos meus preferidos, esta obra simula um jardim, e você interage com ele, ou melhor, ele interage com você. Digo isso pois quando a pessoa meche o braço para a direita as plantas a acompanham e vão para a direita. São seis variedades de plantas coloridas. Foi feito por Miguel Chevalier, conhecido como um dos pioneiros da arte digital, aliás essa arte aí veio lá do México.

Gravei um video de quase todos para vocês:

Se você gostou do video vai lá no youtube e da um joinha pra mim haha, aproveita e se inscreve no meu canal, em breve teremos novidades.
De todas essas artes tecnológicas qual foi a sua preferida?

Olá pessoal. Eu não tenho tido muita vontade de escrever, eu amo escrever mas sabe quero sair desse mundinho, ir para outros, eu não quero deixar vocês, e não vou conseguir, não vou largar o blog, ele é um sonho para mim, e não importa se eu vou eu sempre acabo voltando; eu só quero um tempo. Não quero decepcionar vocês, me desculpem, não esperem nada de mim, mas qualquer dia eu apareço.

domingo, 14 de junho de 2015

Meu professor de teatro sempre diz: Corra o risco do perigo. Essa frase é realmente íncrivel, tenho levado ela para minha vida. Devemos nos arriscar sempre. Arrisque-se a fazer coisas novas, a conhecer outras pessoas, a sorrir, a tirar suas dúvidas com o professor, a sentir algo,a enfrentar seus medos, a olhar nos olhos, a fazer o que sempre quis, a cozinhar uma comida diferente, a jogar, a cantar, dançar, a chorar. Arrisque-se a fazer tudo o que você sempre quis, mas nunca teve coragem.

Me desculpem.

Oi gente, me perdoem por não ter feito muitas postagens ultimamente, minha mãe estava fazendo um trabalho no computador e aí ela teve que ficar com ele a maior parte do tempo, principalmente a noite, no horário que estou acostumada a postar, e quando eu entrava na interner acabava me distraindo no youtube e no instagram, mas não esqueci de vocês, voltei com tudo hahaha, amanhã já tem post novo, ahh e falando em voltar, a greve acabou e minha rotina voltou ihulll, fiquei tão feliz hihi. Beijos pra vocês, e até loguinho.

sábado, 13 de junho de 2015

Extraordinário não é apenas mais uma história e sim uma realidade para algumas crianças, jovens e até adultos. Auggie, o protagonista, sofre de uma deformidade facial dês de que nasceu. Para ele já virou rotina ser olhado de lado, e mesmo sem querer assustar as pessoas ao verem seu rosto, ver elas se afastando, receber apelidos maldosos, e única coisa que ele queria é ser alguém comum. Já parou pra pensar como isso acontece no nosso dia-a-dia? Não estou falando de pessoas com deformidade facial, mas sim de diferenças que temos uns dos outros, tanto as físicas quanto as  maneiras de agir.

sexta-feira, 12 de junho de 2015

Oi pessoal, tudo bem? Já viram a postagem nova que eu fiz? Falo um pouco sobre paixão, como ontem foi o dia dos namorados resolvi fazer um post para os solteiros hahaha, ok ok o dia é dos namorados, mas foi ontem então tudo bem hojee pode ser o dia dos solteiros hehe. Sabe eu ouvi muita gente reclamando que vai passar sozinho e tal, e essas pessoas tem mais ou menos minha idade, ainda tem muita coisa pela frente, não tenha pressa aproveita essa época pra fazer outras coisas. Sabe, eu vejo que as pessoas morrem de medo da solidão, não que eu ame ficar sozinha, mas acho que temos que amar a Deus e a nós pra depois amar outra pessoa. Esses dias li uma frase achei um pouco pesada, mas mexeu comigo: "Se nem mesmo você gosta da sua companhia, quem ira gostar?" Tenso! Mas eu acho que é isso, devemos nós aceitar como somos, eu não me amo assim totalmente, mas Devemos aprender, mas também não vá exagerar, "ame aos outros como amas a si mesmo.". E se ama os outros mas não se ama? E se ama a si mesmo mas não aos outros? Acho que existe um meio termo para tudo. Não devemos amar nossos defeitos, mas aceita-los e muda-los, procurar ser alguém melhor, não, ninguém é melhor que ninguém, mas procurar melhorar você. Ame suas qualidades, mas não se gabe por elas. Ame o seu próximo, e aceie que como você ele também tem defeitos, e não julgue-o.

Que tal um pouco de caFÉ?

Pessoas são como xícaras, se sentem vazias. A xícara procura algum líquido que a encha, e as pessoas procuram formas, dentre elas uma tal de paixão. É como se a pessoa fosse o café, só que ela não gosta de café, não gosta de si, não gosta da sua essência, então a saída é gostar de alguém pra preencher aquele vazio esquisito do coração, ou então o da xícara, pega-se o leite e enche-se a xícara; ótimo está completa agora! A sede era grande, a xícara ficou vazia novamente. Mais leite. Não importava quantas xícaras já haviam sido tomadas, nada matava a sede. Era momentâneo, por um tempo lhe satisfazia, mas o tempo se esgotava, logo já havia sede de novo. Um ciclo infinito, ou quase. E se, resolvesse experimentar e completar sua xícara de caFÉ? As coisas mudariam. "Assegurou-lhe Deus: Eu estarei contigo!" (Êxodo 3:12) e ele está você não está sozinho nessa, Deus preenche esse seu vazio de caFÉ e amor próprio, você não vai mais precisar do leite pra completar sua xícara, pois ela já está cheia! Não é preciso uma paixão para o seu coração se livrar da solidão, da tristeza, do vazio... Não sou a melhor pessoas para falar sobre amor próprio, mas de uma coisa eu sei, antes de amar qualquer pessoa ame-se primeiro, você não quer viver de momentos né?! Você não quer se apaixonar e depois ser esquecida, ninguém quer! Mas existe alguém que não esquece de você, o nome dele é Deus, e se você está passando por problemas, conversa com ele, ele vai te ajudar, vai segurar na sua mão não só por um momento, mas sim para a eternidade. Depois que encher sua xícara de caFÉ, e aprender a se amar não há problemas em colocar leite e transbordar a xícara.

Ontem foi dia dos namorados, então vou falar disso hoje, não será sobre como fazer um presente para ele, musicas para ouvirem juntos e todas essas coisas, o post é pros solteiros, é, dia dos namorados e eu faço postagens para os solteiros hahaha ah mas foi ontem então hoje o dia é nosso! Tem muito gente que acha que só vai ser feliz com alguém do lado, eu discordo, e é isso que falarei.
Você nasceu sozinho, também vai morrer sozinho! As pessoas são como xícaras, se sentem vazias,

quarta-feira, 10 de junho de 2015

Metas para Junho

Olá pessoal, tudo bem?
Então vou começar a todo mês fazer metas aqui no blog de coisas que quero alcançar em um determinado mês, é sempre bom ter metas pois assim não ficamos sem rumo, não perdemos o foco e nossos sonhos ficam cada vez mais perto de se realizarem. Se você gostar faça no seu blog também e caso não tenha um faz em um caderninho mesmo :).
Agora chega de blablablá e vamos as metas.
1. No final do mês ter feito pelo menos 15 posts.
2. Fazer todas as postagens que estão na minha cabeça.
3. Comprar um batom vermelho.
4. Começar a postar videos no youtube.
5. Estudar mais.
6. Procurar saber mais sobre a segunda guerra mundial e o holocausto judeu.
7. Ir em todas as aulas de vôlei.
8. Decorar o painel do quarto.
9. Decorar o quarto.
10. Revelar as fotos.
11. Conseguir fotografar pelo menos 20 fotos do #desafioprimeira.
12. Gravar "Document your life" .
13. Terminar de ler "altos papos".
14. Voltar a ler "A menina que roubava livros".
15. Ler 2 livros.
16. Voltar a desenhar, fazer um bom desenho.
17. Fazer algum diy.
18. Voltar a ir no grupo de jovens.
19. Ler a bíblia todos os dias.
20. Comprar um colar ( desses famosinhos mesmo porque eu acho bonito hahaha)
21. Conhecer alguém diferente.
22. Começar a escrever uma história, ou continuar uma antiga.
23. Gravar video-clipe da música "Lembra".
24. Procurar saber mais sobre os países que quero visitar (Itália, França, Japão, Suiça ou qualquer outro que despertar curiosidade).
25. Aumentar o publico do blog nem que seja só um pouquinho.
26. Fazer uma auto biografia.
27. Começar a ler poesia.
28. Ler mais crônicas.
29. Sempre que puder, assistir ao pôr do Sol.
30. Criar o Bela Fotografia, página no face pra postar fotos que eu tiro, tipo das minhas amigas, pois quero ser fotografa então já posso ir começando. Postar lá frequentemente.
31. Tocar violão pelo menos uma vez na semana.
32. Melhorar o ataque no vôlei.

A ideia era fazer só trinta metas pois o mês de junho só tem trinta dias, mas eu não gosto de me limitar kkk, quando tem que fazer um texto com no máximo 10 linhas é um sacrifício pra mim não ultrapassa-las, não consigo encaixar minhas ideias em poucas linhas.
Mas é isso pessoal, essas foram minhas metas, agora é se esforçar pra realiza-las. Faça metas você também! Beijokas <3

terça-feira, 9 de junho de 2015

Meu Feriado.

Olá blog, hoje vim te contar sobre como foi meu feriado. Não viajei, aqui em casa nunca viajamos no feriado, minha mãe tem um pouco de medo da estrada nessas épocas, e também acha que gasta muito pra ficar pouco tempo, por isso só viajamos nas férias. Ficamos na nossa casinha, mas não vou negar que foi divertido.
Não me lembro bem o que fiz no dia 4, não lembro nem o que comi no almoço hoje! Mas o dia 5 marcou pois foi muito legal. A Gabi, minha prima, ligou aqui para casa me chamando pra ir jogar vôlei lá na rua, eu estava arrumando o quarto, bem da verdade aquilo não fazia parte dos meus planos, estava afim mesmo era de ficar em casa lendo um bom livro ou assistindo filme mas, acabei topando, só falei que terminaria de arrumar o quarto. Depois que desliguei o telefone bateu aquela preguiça e fiquei me enrolando, fui pra sala e fiquei assistindo televisão enquanto comia bolacha. E logo apareceram as meninas com a bola, prontas pra ir jogar. Falei que andei não tinha terminado o quarto, elas sentaram e ficaram assistindo tv, falei pra elas irem lá na rua porque eu não tinha terminado o quarto ainda, mas elas não foram então fui finalmente fazer o que eu devia, e elas vieram atras sentaram na cama e ficaram olhando meu álbum de fotos de quando eu era bebe. Ufa, terminei. Então fomos lá pra rua jogar, fazia tempo que a gente não fazia isso, minhas bolas sempre acabam tendo um fim inevitável, a casa de vizinha. Ela tem muitos cachorros, então quando cai lá já era. Agora é rezar pra que a bola da Elisa não tenho o mesmo destino cruel que as minhas tiveram, buááá. 
Quando o sol estava se pondo tudo ficou com um tom alaranjado e lindo, e é claro tivemos que fotografar. O Sol se pôs, já iria começar a escurecer então entramos, e como sugestão da Elisa fomos pro quarto da Gabi fazer yoga, não que a gente saiba, mas justamente por isso que foi legal. Procuramos imagens no google pra imitar e aí fizemos duas posições, que eu vou deixar aí pra vocês verem, (ah e já vou avisando, não sou boa nisso kkk, as duas já fizeram ginastica, mas eu nunca fiz então não esperem muita coisa de mim)
Depois da foto, cai.
" Agora que a gente já sabe, vamos lá no Jardim Botânico fazer isso" - Elisa. Hahahaha vamos miga, vamos pagar mico lá no JB ihuuul! Kkkk.
Apesar de eu ainda estar com dor na barriga, o joelho queimado de quando cai no tapete e machucada dos tombos, valeu a pena! Foi muito divertido, rimos muito e esse dia vai ficar marcado, assim como outros que passamos juntas <3
No dia 5 também não lembro o que fiz, acho que não teve nada de mais. Dia 6, Domingo. Minha prima Bárbara veio aqui, ela já tem 20 anos, antes morava com a gente, mas agora está em um apartamento com mais 3 meninas. Minha mãe fez uma rosca deliciosa, bem da verdade não sei porque o nome é rosca se é tipo um pão '-'. Pintei meu cabelo com papel crepom de rosa, adorei o resultado huehuehue. A noite eu fui a missa, estava morrendo de preguiça, não queria ir, mas minha mãe insistiu um pouco, e eu tinha tido uma semana ótima então deveria ir a missa pra agradecer a Deus. Sei que o que vou falar agora não é uma coisa que uma cristã deve falar, mas a missa foi um tédio e fiquei contando os segundos pra acabar, quem deu a missa não foi o padre de sempre pois estava em outra paroquia, aliás rezem por ele, pra que Deus o de muita saúde. Depois da missa passamos na minha irmã Caroline, pra fazer uma visita. A Dudu já tinha dormido, ficamos brincando com a Nanda, tinha um arquinho de leãozinho e um rabinho da apresentação da Du, então a brincadeira era subir no banquinho e pular enquanto a outra cantava "tam tam taramm", até eu entrei nessa kakaka. Minha mãe chamou a gente pra ir embora, e a Nandinha já fez carinha de triste, e falou que se a gente fosse não iamos comer chocolate (chantagem!). Fomos para sala e ficamos por mais um bom tempo assistindo o fantástico, já pararam pra perceber como os jornais dão privilegio para as noticias ruins? Se passar é só uma noticia boa. E não é porque só tem maldade no mundo, claro que não! Mas é o que da audiência, a mesma coisa é a video cacetada, a pessoa faz cagada quase quebra o pescoço e as pessoas ainda riem. Porque vivemos em uma sociedade que só fala em desgraça? Tanta coisa boa pra falar, tanta pessoa boa no mundo, quantas boas ações são feitas, mas ninguém da atenção pra isso a desgraça é "melhor". Mas tá passou uma noticia boa sim, não sei se vocês já viram no facebook aquela menina que ajudou o homem que tem paralisia cerebral a comer sorvete, eu achei o gesto lindo, feito com muito amor, Deus abençoe essa menina.
Bonito né? Vamos seguir esse exemplo dela e sempre ajudar as pessoas que precisam <3. Pra quem quiser ver a reportagem clique aqui.
Depois que voltei da Nine, jantamos, fiquei um pouco no computador e depois fui dormir, não tenho conseguido dormir cedo ultimamente, acordo tarde e durmo tarde, vira um ciclo vicioso haha. Rezei depois me deitei, o brilho da Lua iluminava meu quarto, abri uma frestinha da cortina para espiar e lá estava ela, a querida Lua, fiquei a olhando por um tempo e viajando em pensamentos, logo adormeci.
Foi assim meu feriado, e o seu, foi bom?
Andei vendo como as pessoas sentem só e como elas dependem de uma paixão pra se completar. O vazio do silêncio se completam com uma música romântica, as palavras descrevem o "amor", os filmes sempre tem um lance de par perfeito, e as pessoas se enchem de paixão. O amor é tão certo

sexta-feira, 5 de junho de 2015

Projeto 12 Cartas: Uma carta para mim mesma a 10 anos atrás.

Olá Belinha,
 Eu sou você daqui a dez anos, coisa louca né? Decide escrever pra ti, porém estou com uma grande dúvida, será que realmente devo lhe contar o que irá acontecer, ou deixar tudo em secreto para que você descubra com o tempo? Se eu lhe perguntasse isso você ficaria indecisa, você é quase sempre indecisa, seu lado curioso pede para que eu lhe conte tudinho, já seu lado que curte descobertas pede silêncio e quer que as coisa se descubram com o tempo. Mas como eu não resisto vou te contar.
  Primeiramente quero te dizer que essa sua timidez vai ir pra bem longe, sei que só abre a boca para comer e falar sim e não, mas você vai começar a fazer teatro e vai se soltar pra caramba, você vai amar aquilo, e dês de então não será mais tão quieta, saiba que hoje 10 anos depois, você sorri pra estranhos, faz amizades com pessoas no ônibus, aliás agora você tem muitos amigos, prometo que cuidarei deles. Não lembro quem são suas amigas com quatro anos, mas lembro que estuda na Aquarela e sinto saudades desse lugar, sempre lembro da vez que teve festa do pijama na escolinha, aproveite bem. Outra coisa que não faço a minima ideia é sobre o que se passava nessa sua cabecinha, hoje se passa um turbilhão de coisas. Esses dias enquanto olhava uma foto minha de quando tinha uns 6 anos, pensei: nossa, que saudades daquela época, em que era tudo tão tranquilo e quase não haviam preocupações (não que hoje exista, tenho só 14 anos, sei que o futuro promete muitas outras, mas digo isso porque naquela época eu não me preocupava com muita coisa). Você chora bastante né?! Ou não, mas lembro que nessa época seu tio cantava "Eita mulher chorona, chora feito uma sanfona." É, nada legal, talvez por isso quase não chore mais, ah não, pera, eu choro assistindo progama de televisão que fala sobre a vida das pessoas, então esqueça essa parte. Lembro dos castelinhos que você montava com as almofadas do sofá que hoje a mãe trocou e não da mais pra montar, choremos. Também não posso esquecer que 2004 foi um ano muito especial, pois nasceu nossa irmãzinha, a Gigi. Vocês duas serão super amigas, e preciso te dizer, ela é uma tagarela em tanto. Falando em irmã, a Nine vai se mudar de Curitiba, vai lá pra Passo Fundo, mas calma, ela volta. Lembro de quando eu e ela íamos ao Museu Natural, e também de quando a gente comia leite condensado com Nescau, eita época gostosa. Aproveite tudo isso, porque quando você for maior as duas não irão mais ao Museu Natural, e a sua companhia para comer leite condensado com Nescau serão as filhas da sua irmã, é, você vai ser tia com 10 anos, que surpresa não é? Hahaha essa carta foi cheia de surpresas, mas ainda deixei algumas pra você ir descobrindo. Ah e a última coisa, daqui a 10 anos você estará escrevendo uma carta para si mesma a 10 anos atrás. 
                                                                                                                              Com carinho, Isa.

quinta-feira, 4 de junho de 2015

Projeto 12 cartas

 Oi pessoal, tudo bem?
A Monique Rossi <3 do blog Vida de Sophia criou junto com Caroline Souza do blog Vivendo o Dark Side um projeto super legal, chamado: 12 cartas. Como o nome já diz são 12 cartas, cada uma com um tema.

1ª Carta para você mesmo há 10 anos atrás.

2ª Carta para uma pessoa que já morreu.

3ª Carta para o seu herói favorito de infância.

4ª Carta para quando vocês não acreditar mais e você mesma.

5ª Carta para você amanhã.

6ª Carta para seu/sua melhor amiga.

7ª Carta ao inimigo.

8ª Carta para alguém que ainda não nasceu.

9ª Carta para um suicida.

10ª Carta aos pais (ou a quem te criou)

11ª Carta ao amor da sua vida.

12ª Carta ao seu primeiro professor. 

A Monique me convidou para participar e claro que eu topei, vai ser uma aventura fazer as cartas, a primeira já está pronta e amanhã, ou melhor hoje posto ela. Quem gostou do projeto sinta-se a vontade para fazer. Um beijão e espero que gostem <3


Tag Amo/Odeio


Oi oi pessoal, tudo bem?
Hoje venho responder a tag Amo/Odeio fui indicada pela Jade do blog  O Diário Adolescente de uma Jade Diferente  e também pela Giulliana do blog Sobre a Comoda, obrigada lindas! <3
Essa tag foi criada pela Chery Cookie , e as regras são:
1-  Dizer 10 coisas que você odeia e 10 que você ama.
2- Indicar 10 blogs para responder a tag também
3- Colocar o selo da tag (esse coraçãozinho)
4- Colocar o blog que deu origem a tag
5- Por o link de quem te indicou a tag.

Então vamos lá.

ODEIO

1. Falta de respeito- Tenho uma raiva disso! Por exemplo se você não gosta da sua professora de matemática tudo bem, você tem esse direito, o que você não tem de direito é desrespeita-la, ofende-la!

2. Palavrão- Quase todo mundo na minha idade fala, eu não! Odeio isso! Essas palavras te edificam? Melhoram o seu ser? Não? Então pra que falar? Ao meu ver é isso, mas cada um tem seu jeito então se você fala o problema é seu.

3. Panelinhas- Para quem não sabe panelinha são grupinhos que se formam, tipo na escola não tem aqueles grupinhos? Então isso é panelinha. Não que eu odeie, porque também tenho um grupinho de amigos. Mas eu não gosto. Sou do tipo de pessoa que conversa com todo mundo, acho que é muito mais legal quando na sala todo mundo é amigo do que quando ficam se dividindo.

4. Intromissão na vida dos outros- Isso é uma coisa que sempre acontece, as pessoas querem fazer as escolhas por você, dizer o que você deve ou deveria ter feito, se te for pedido uma opinião pode falar, mas caso contrário fique no seu canto, e não opine na vida dos outros.

5. Negatividade- Quando a pessoa só reclama da vida e não faz nada pra mudar, odeio! E também quando ela está triste o tempo todo, não vê nada de bom, tudo é ruim, não gosto disso.

6. Falta de consideração com o outro- É como eu já disse, se você tem uma opinião não muito boa sobre alguém guarda ela para você!

7. Me odiar- Odeio me odiar, as vezes isso acontece, me sinto inútil, e acho que não faço nada direito.

8. Me sentir culpada- Sempre quando faço algo errado e ainda vem alguém me dizer que estou errada fico me sentindo culpada, remoendo tudo o que eu fiz e não deveria ter feito, e além de eu já me sentir culpada ainda vem outra pessoa e joga isso na minha cara, aí a situação fica duplamente pior.

9. Falta de modéstia- Tipo quando você: Você é muito bonita! E a pessoa responde: Eu sei! Outro exemplo: Essa foto ficou linda! Claro fui eu que tirei! A pessoa nem agradece, ela já sabe de tudo! Ok, temos que nós amar e saber de nossas qualidades, mas não ficar se gabando!

10. Compromissos e responsabilidades- Sei que é muito imaturo, mas odeio ter compromissos e responsabilidades, gosto de fazer as coisas quando eu quero, quando tenho vontade e não porque sou obrigada. Ok bem imatura.

AMO

1. Deus- Ele é o cara né?! O melhor amigo que alguém pode ter, está disponivel a todo momento para falar com você, e te ajudar a enfrentar os problemas.

2. Família- Amo minha família, agradeço por ter cada um deles na minha vida, ter pais tão maravilhosos e uma família incrível.

3. Amigos- Incluindo as primas lindas que eu tenho que também são minhas amigas <3. Sempre podemos contar com um amigo, é alguém que te deixa feliz, te faz e rir e faz com que se esqueça dos problemas.

4. Luan Santana- Amo demais, ele é perfeito! Ontem mesmo eu estava vendo fotos dele no google des da época de Gurizinho, e também escutando música, confesso que chorei hahaha. Um dia eu ainda abraço ele, "Escreve aí". Quando eu crescer quero ser a mulher dele hahahaha.

5. Fotografar- Sou viciada nisso, quando eu crescer quero ser fotografa <3

6. Teatro- Completamente apaixonada por teatro e atuar. Nossa, quando fiquei uns 2 anos sem teatro era tipo um drogado sem droga, uma abstinência da pêga hahaha. Quando eu crescer quero ser atriz de novela ou filme, tanto faz <3

7.  Escrever- Claro que eu não podia deixar esse amor de fora, escrever. Dês de pequena eu escrevia em diários. É demais quando vou ler um de sei lá, 2008, cada coisa! É muito engraçado! Qualquer dia faço que nem a Taci em um vídeo que ela lê os antigos diários, se você apoia comenta ;). E também escrevia historinhas, mais ou menos fanfics, eu parei mas pretendo continuar, então em breve quem sabe você encontre minhas histórias aqui no blog.

8. Ler blogs e assistir videos no youtube- Isso é com certeza o que mais faço no computador.

9. Conhecer coisas e pessoas novas- Adoro conhecer pessoas nova, cada uma com uma história diferente para contar, outra forma de ver a vida. Normalmente eu sorrio para pessoas que não conheço, o que é muito legal, pois tenho amizades que começaram a partir disso. Ah e também amo conhecer coisas diferentes, sou muito curiosa, não me contento com o pouco que sei quero sempre mais e mais, a matéria filosofia é assim, ainda não tive muitas aulas mas pelo jeito vou amar também.

10. História- Tem mais tantas coisas que eu amo porém vou encerrar com essa. É surpreendente descobrir tudo o que aconteceu no passado, e com isso entender o presente e mudar o futuro. Tive um professor muito legal, talvez tenha sido ele que despertou todo esse meu amor pela matéria.

E isso gente, agora vocês sabem tudo o que eu amo e o que eu odeio, o que eu quero ser quando crescer e como eu sou bobinha haha. Temos algo em comum? Comenta.
Ah e não posso esquecer de marcar outros blogs para fazerem essa tag super divertida.

1- Kaori Means
2-Love in red
3-Mania de Bruna
4-Mundo Secreto
5-Vida de Sophia
6-Conversando com a Lua
7-Sonhos Perdiidos
8-Blog Boneca de Pano
9-Mariana G Garcia
10-Meu Genne

E que a sua vida seja feita de amor e não de ódio, que o amor domine o ar que você respira, e o ódio fique pra mais tarde, bem mais tarde. Beijão <3